Agulhas para iscar

O artigo que você está prestes a ler é o primeiro de uma série em que vamos abordar diferentes iscas e as mais usadas para o mar e por os pescadores em geral. Para explicar as diferentes iscas, como a colocação no anzol, o tipo de artes utilizadas, a melhor maneira de preservar e apresentar aos peixes, as espécies que podem entrar em cada tipo de isca, etc.

Antes de começar com as diferentes iscas vamos falar sobre algumas das ferramentas que, em alguns casos, são necessárias para a boa apresentação de uma iscada. Em qualquer caso, é preciso sempre uma tesoura de pesca, bobine de fio elástico, de agulhas para passar a sardinha e os diversos vermes.

Sobre a tesoura não vão falar muito, necessárias para partir correctamente os iscos como lulas, sardinhas ou Tita, devem de ser de cozinha por causa do seu menor custo, além de serem mais fortes. Alguns pescadores substituem ou complementam a tesoura com uma boa faca afiada.

Também não nos vamos prolongar muito com a bobina de fio elástico, usado principalmente para dar coerência a algumas iscas, como amêijoas ou mexilhões, que são iscos moles e difíceis de iscar no anzol, facilmente saltam do anzol, assim muitas vezes é utilizado este fio elástico para que estes durem mais tempo no anzol não sendo tão fácil os peixes roubar-nos a isca.

De as diferentes agulhas creio que é importante conhecer a sua forma e maneira de serem utilizadas para que o seu conhecimento seja correcto.

Existem três tipos de agulhas, dependendo da isca que usamos será muito útil para a nossa isca e para peixe as iscadas serem apresentadas em boas condições e deteriorar-se o menos possível.

Agulha de Sardinha

Esta como o nome indica é usada para passar a sardinha (ou meio) para a linha e anzol, também usado como isca, polvo, salsicha, ralos, etc. Com cerca de 24 cm de comprimento, numa extremidade é pontiaguda e na outra extremidade em forma de gancho. Por o extremo em ponta atravessamos a sardinha junto á espinha tendo em conta que por onde vai a agulha será o extremo onde depois vamos colocar o anzol, no gancho da outra extremidade da agulha será onde colocamos a laçada do estralho do anzol. Segurando a ponta da agulha com uma mão e com a outra jogando a isca com a agulha e linha que vai até ao gancho. Desta forma, a isca será colocada para esconder o anzol dentro da isca, sem danificar o seu exterior.

Agulha para Vermes

Este tipo de agulha só se utiliza para iscar vermes por causa da sua delicadeza e fragilidade da sua pele seria impossível colocar no anzol sem que o nosso isco que deteriore e seja apresentado o mais natural possível. De igual tamanho (+ -24 cm.) e espessura como diferença da agulha de sardinha é que a de vermes é oca por dentro e ambas as extremidades, ou pelo menos uma das extremidades é afiada.Furamos e atravessamos com a agulha pela boca do verme, uma vez que o verme seja todo atravessado na outra extremidade da agulha colocamos a ponta do anzol, com uma das mãos seguramos o conjunto ( agulha e Linha do anzol ) formando uma espécie de triângulo, uma vez que o conjunto esteja em tensão com a outra mão deslizamos o verme por a agulha  e anzol até ao estralho de linha do anzol, assim é possível que se coloque um verme inteiro numa iscada ficando uma das extremidade do verme a tapar o anzol.

Culinária:


Partilhar:


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *