O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player


  Início

  Noticias&
  Reports

  Artigos

  Destinos

  Loja Online

  Fotos

  Filmes

  Blogs de Pesca

  Equipamentos

  Tutoriais

  Informações

  Outras Coisas

  Colaboradores

  Parceiros

  Newsletter

  Comentários


  

  Coordenador &
  Digital Designer :
   José Luis Costa

  Conteudos:
   Veja Colaboradores

  Publicidade:
   Contacto

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Carlos Vinagre Novo Presidente da FPPDAM

Carlos Manuel Galambas Vinagre, nascido a 23 de Dezembro de 1960 é natural de Setúbal residindo atualmente no Pinhal Novo. Militar de carreira – Tenente Coronel – na Força Aérea, cedo se destacou na liderança de grupos de trabalho que contribuíram para excelentes e reconhecidos desempenhos profissionais.

Entre outras paixões a Pesca teve sempre um lugar de destaque nomeadamente pela componente do Mar , facto que elege como de suma importância em sua vida.
Motivado pela vontade de querer fazer sempre mais em prol da comunidade, dedicou-se durante cerca de seis anos à presidência da Associação Académica Pinhalnovense, onde granjeou grandes amizades, deixando o clube em bom destaque desportivo. Reconhecido por todos como sendo uma personalidade catalisadora de empatias e sentido pragmático, obteve o consenso generalizado para liderar um projecto mais ambicioso e de grande responsabilidade como é a Federação Portuguesa de Pesca Desportiva do Alto Mar, facto que de imediato colheu a sua concordância e o estímulo necessário para este grande desígnio. Foi com ele que estivemos à conversa…

• Quais os motivos que o moveram para aceitar este novo desafio?

Os motivos que me levaram a aceitar este desafio foram propiciar a continuidade de um projeto que conhecia e no qual me revia, tentando dar um novo caminho à FPPDAM com uma gestão mais moderna, virada para os seus associados e que vise uma maior proximidade entre estes e a sua Federação. Também concorreu para a minha aceitação o facto de ir liderar uma equipa forte, coesa, com vontade de trabalhar em prol da Pesca Desportiva do Alto Mar e com provas dadas no curto espaço de tempo em que desempenharam funções.

• Quais os objectivos principais do mandato que agora começa?

Neste mandato, de pouco mais de três anos, pretendemos dar á FPPDAM uma dinâmica de crescimento, virada para o futuro, assente nos pilares da transparência, competência e sustentabilidade financeira, proporcionando aos seus associados um conjunto de ferramentas que visem o seu desenvolvimento e a progressão desportiva. A dinamização das modalidades que integram a FPPDAM junto de escalões etários mais jovens, porque desta forma conseguimos garantir uma continuidade temporal é um objetivo que iremos ter sempre presente na nossa gestão. Pretendemos também dar uma maior visibilidade às nossas modalidades, divulgando através dos meios de comunicação disponíveis todas as atividades que tenham intervenção quer da FPPDAM quer dos seus associados dando a conhecer os fortes laços de companheirismo e desportivismo existentes.

• A competitividade dos vários Campeonatos é um tema atual que preocupa Clubes e Atletas. Que pensa fazer para tornar estes eventos mais competitivos tendo em conta a rentabilidade económica dos mesmos?

Estamos sensíveis a este assunto. Iremos estudar, com os nossos associados, novas fórmulas de competição que visem essa mesma competitividade. Talvez a solução passe por uma reestruturação das divisões existentes quer na quantidade quer no número de zonas existentes, mas como disse anteriormente esta é uma matéria sensível e entendo que a direção não pode tomar uma decisão por si só, têm que ser ouvidos os nossos associados e em conjunto chegar à melhor solução, se bem que, este é um assunto que está já a ser estudado pelo Conselho Técnico.

• No contexto atual económico, afigura-se um futuro com grandes restrições financeiras para o desenvolvimento em concreto da Pesca Embarcada. Que medidas crê que possam ser implementadas no sentido de contrariar esta realidade?

Por se tratar de um desporto caro, porque implica o aluguer de embarcações, aquisição de iscos e aquisição de equipamentos, é previsível um decréscimo do nº de participantes nas competições nacionais desta modalidade, motivada pela atual conjuntura económica do país. Assim esta nova direção terá que incessantemente buscar novas ideias que tornem a participação dos atletas menos dispendiosa. Existem ideais que iremos tentar pôr em prática a muito breve prazo mas não me parece que seja a altura ideal para as divulgar. Deixem-nos “apalpar o terreno”, temos muito pouco tempo de mandato, dentro de muito pouco tempo prometemos divulgar algumas medidas.

• A organização do Campeonato do Mundo para seniores e juniores em 2013 é para a sua liderança um desafio de extrema importância. Que pensa sobre a importância da realização deste evento em Portugal?

São esperadas na zona de Setúbal cerca de 300 pessoas integradas nas comitivas representativas dos diversos países participantes neste evento o que certamente irá proporcionar um “balão de oxigénio” na actividade comercial desta zona. Também servirá para divulgar a modalidade, trazendo novos atletas para a competição e dar a conhecer um pouco mais a Pesca do Alto Mar no nosso país com um evento de dimensão mundial. Pretende-se também demonstrar, mais uma vez, a nossa capacidade organizativa em eventos com esta grandeza trazendo, desta forma, a realização de mais campeonatos mundiais para o nosso país. Transformar Portugal num destino turístico para a prática desta actividade, dando a conhecer as condições excepcionais existentes no nosso país.

• Para o desempenho do cargo para que foi agora eleito, conta com a colaboração de vários grupos de trabalho em várias áreas de relevante importância. Como pretende coordenar as várias colaborações e o que prevê possam contribuir para o desenvolvimento da modalidade?

O objectivo è descentralizar competências no sentido de incentivar uma maior união entre todos os interessados e não contribuir para o inverso. Não nos candidatámos para alimentar sequelas do passado, mas sim para honrar e dignificar o que foi feito e através de ideias novas, 
metodologias diferentes com outro modelo de gestão, podermos fazer 
algo de diferente, melhorar condições e desempenhos, desenvolver a formação , atrair novas parcerias, mas visando sempre a sustentabilidade da modalidade e obviamente dignificando os clubes.
Este sem dúvida o modelo que seguirei juntamente com os vários órgãos no sentido de obtermos os objectivos a que nos propusemos no programa que apresentámos.

• No momento que inicia este mandato, que mensagem deixa a todos os Clubes e seus Atletas?

A razão do nosso trabalho e empenho vai sempre de encontro ás necessidades dos Clubes e dos seus Atletas, mas para isso é necessário, confiança nesta equipa, aliás demonstrada na participação no ato eleitoral, tranquilidade e paciência para que possamos por em prática o nosso projecto, seriedade nas opiniões e nas críticas que devem ser sempre construtivas, humildade em reconhecer o erro e sabedoria em encontrar soluções, mas acima de tudo união entre todos os intervenientes, sejam eles Clubes, Atletas, Dirigentes, Parceiros Desportivos ou outros. Sabemos ser um grande desafio cujo grau de dificuldade é elevado, mas se lutarmos todos pelo mesmo ideal de forma coesa e séria, com certeza que iremos sustentabilizar e engrandecer a Pesca Embarcada em Portugal. <>

 
Share |
 
 


CURRENT MOON

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Privacidade Copyright © 2010 - 2014 www.pesca-embarcada.com Sobre